Sub-total R$ 0,00
em até x de sem juros

Giuliana Flores na Mídia

Confira as entrevistas e matérias que saíram na televisão. Clique aqui>

Info CORPORATE - 09/01/2009
Título: Giuliana Flores aprimora atendimento com chat

O site de comércio eletrônico Giuliana Flores fechou um acordo com a Direct Talk para melhorar uma das formas com que a empresa conversa com os clientes - o web call center, ou simplesmente o chat. Para isso o varejista adotou a plataforma Direct Talk 5.0 que além de aprimorar o serviço, suportou o crescimento da demanda dos internautas. Em 2007, a média mensal de contatos via chat era de 1,8 mil. No ano passado, no entanto, o número de consultas mensais usando a ferramenta de web call center passou para 2,7 mil. Segundo Clóvis Souza, diretor-executivo da Giuliana Flores, o aumento do acesso à internet trouxe uma mudança de comportamento dos clientes que buscam respostas imediatas para esclarecer dúvidas no ato da compra. Por isso, o site optou por um atendimento mais eficiente que a ferramenta de e-mail, que possui um tempo de resposta maior do que o chat. A Giuliana Flores atua no mercado de comércio eletrônico há oito anos. São cerca de 8 mil entregas por mês e em mais de 1,1 mil cidades brasileiras. Entre os parceiros da empresa estão Kopenhagen, Amor aos Pedaços, Faber Castell, Payot, Mahogany, Havanna, Ofner, Salton e Hydrogen.


Gazeta Mercantil - 22/01/2009
Título: Giuliana Flores expande atuação no segmento corporativo

A Giuliana Flores, uma das líderes em vendas de flores via internet, está apostando este ano nas vendas ao segmento corporativo. Esse nicho de mercado, que hoje responde por algo entre 15% e 20% do faturamento da empresa, deve subir em participação até o final de 2009, chegando a 30% de acordo com a expectativa do diretor da empresa, Clóvis Souza. O segmento começou a ser explorado mais fortemente pela Giuliana Flores há cerca de dois anos, quando a empresa criou uma estrutura própria para atender a esse público. Contratou profissionais, reestruturou a logística e a infra-estrutura de TI. No ano passado, o segmento ganhou força, alcançando uma base de clientes de 7 mil empresas, entre as quais Wal-Mart, Avon, Tim, Accenture, Unilever e Comgás. Pode parecer pouco diante do total de 230 mil clientes pessoas físicas. Mas, acaba ganhando peso por conta do volume de vendas. "Há clientes que chegam a fazer seis mil pedidos de uma só vez", afirma Souza. A demanda crescente do negócio é explicada pelo executivo pela praticidade do serviço. De uma só vez, o cliente corporativo fecha um contrato de entrega de produtos para o ano todo. "Para presentear funcionários no aniversário ou clientes, por exemplo", explica. Trata-se de um sistema de vendas e entrega de presentes com o benefício de um sistema completo de logística. No segundo semestre do ano passado, a empresa lançou um vale-presente destinado ao consumidor e a empresas, sendo que no caso do cliente corporativo é possível escolher entre vale pré ou pós-pago. No primeiro caso, a empresa compra os vales que são comercializados nos valores de R$ 50, R$ 80 e R$ 120 e distribui entre seus clientes. O pagamento é feito à vista e os produtos podem ter a arte customizada, desde que a compra contemple no mínimo 100 vales. No pós-pago adquire-se um lote de códigos dos vales e a empresa paga, por meio de boleto, por aqueles que utilizar. Nesse modelo existe a quantidade mínima de mil vales e é possível customizar os valores dos vales. No Natal do ano passado a Giuliana Flores elevou em 33% o número de pedidos realizados, chegando a 3,2 mil contra 2,4 mil na mesma data de 2007. Os pedidos realizados por pessoas físicas cresceram 28%, contra 19% no caso dos realizados por empresas. No total do ano de 2008 , a empresa registrou crescimento de 42% em seu faturamento (o valor não é revelado pela empresa). Para este ano, objetivo é manter o crescimento na ordem dos 40%.Sede maior Há 18 anos no mercado, oito deles dedicados ao e-commerce, a Giuliana Flores prepara todos os pedidos na própria sede. Da estrutura de 1,3 mil m (que está passando por uma ampliação de 430 m a ser inaugurada em fevereiro) saem 8 mil entregas por mês em um prazo máximo de dois dias. A empresa faz entregas em 1,1 mil cidades brasileiras e ao longo do tempo foi agregando outros produtos além de flores a seus quites por meio de parcerias fechadas com empresas como Kopenhagen, Faber Castell, Payot, Havanna, Ofner, Salton, Hydrogen.


Revista Consumidor Moderno - 03/2009
Título: Muito prazer, meu nome é Consumidor.

"Para nós, o cliente vem sempre em primeiro lugar. Temos de dar total atenção a ele. Por isso, sempre buscamos novidades para nossos produtos, como o departamento no qual o consumidor escolhe o que quer colocar na cesta, juntamente com as flores, e nós montamos e enviamos para o destino solicitado. Além disso, temos alguns planos de ampliação da equipe do chat já que a maioria dos nossos clientes usa bastante esse recurso. O interessante do portal é que se o usuário passar sete minutos navegando, aparece um banner perguntando se ele precisa de ajuda, já que na maioria das vezes as pessoas apresentam dificuldades, dúvidas e até mesmo receio de comprar via site." Clóvis Souza, diretor-executivo


Gazeta Mercantil -11/ 03/2009
Título: Claro foca no canal de vendas

Claro foca no canal de vendas e lança shopping. Wall-Mart, Netshoes, SOS Computadores e Giuliana Flores são os parceiros da operadora. (...) A Claro está lançando o "Shopping Claro", um ambiente de divulgação de ofertas situado na homepage do Portal. (...) A Claro estabeleceu acordos comerciais com alguns varejistas, a exemplo do Wal-Mart, Netshoes, SOS Computadores, Giuliana Flores e Nova Flor. Eles passam a ter o direito de direcionar ofertas de produtos aos clientes da Claro, compartilhando a receita com a operadora.


Jornal da Tarde - 23/03/2009
Título: Contra a crise econômica, flores. (Entrevista com diretores)

Com a expectativa de crescer 40% neste ano, a Giuliana Flores, floricultura especializada em comércio pela internet, trabalha constantemente no fortalecimento da marca. Mesmo com a crise internacional, a empresa centra forças em três aspectos para fazer seu nome crescer: se unir a grandes marcas consolidadas de diversos setores - bancos, seguradoras, fabricantes de chocolates finos, entre outros -, investir em marketing dos produtos que estão em constante atualização e trabalhar ao máximo para que os artigos sejam entregues no prazo certo - até 2 dias - em mais de 1,1 mil cidades de todo o País (...)


Jornal O Estado do Paraná - 24/05/2009
Título: Pequeno varejo "ri à toa"Título: Novas Contas

(...)Com metas otimistas para o Dia das Mães, empresários afirmam que venderam no mínimo de acordo com o previsto. A alta segmentação das lojas foi um dos fatores mais importantes, segundo eles. O diretor do site Giuliana Flores, Clóvis Souza, conta que vendeu 35% a mais que no ano passado, superando - "e muito", segundo ele - as expectativas. "Tendo em vista a crise, nossas vendas foram excelentes", afirma, contando que os produtos mais procurados foram tulipas e rosas. (...)


Jornal DCI - 03/06/2009
Título: E-commerce pode facilitar na hora do presente

Em 2008, o setor de comércio eletrônico estima ter faturado em torno de R$324 milhões apenas por conta do Dia dos Namorados. A data deve ser ainda mais expressiva este ano, pois o número de internautas aumentou. Quem acredita nisso é também a consultoria E-bit. Para a entidade, este ano o comércio eletrônico promete crescer ainda mais na data, o que anima várias empresas que começam a se especializar também neste segmento de vendas pela web. É o caso da Giuliana Flores, uma das líderes do comércio eletrônico de flores e arranjos. Para a data, a loja virtual criou arranjos combinados com peças de pelúcia, chocolate, vinho ou champanha de marca renomada, como Amor aos Pedaços, Kopenhagen e Salton.(...)


Revista Empreendedor 04/06/2009
Título: Mestre dos Arranjos

(...) Entrar no mercado online, em 2000, não foi muito diferente da criação da primeira loja física. De cara, descobriu que construir um site próprio, nos moldes que imaginava, gastaria 20 vezes mais do que estava disposto a pagar. Dessa vez, Souza teve que se contentar em usufruir dos serviços de hospedagem de sites, que já oferecem design e sistema próprios, mas que são muito engessados. "No começo, todo mundo acha que é só colocar um site no ar e começar a vender. Só depois descobre que existe uma série de outros processos por trás. Para ele, o segredo de ter sucesso na internet é justamente começar pequeno - "a não ser que tenha muito dinheiro para investir em uma equipe", pondera. (...)


Revista Cláudia - 31/07/2009
Título: Achados e Soluções - Presentes Online

As viciadas em internet provavelmente já sabem que a Giuliana Flores é o maior site de vendas de flores online pelo país. Mas talvez elas ainda não saibam que a empresa criou kits especiais para os pais, sempre acompanhados por flores. O Beer tem duas cervejas artesanais Bitburger (355ml), copo e vasinho com minirrosas amarelas, tudo em caixa de madeira decorada (146,40 reais). O Criar Sempre é um arranjo em cachepô de madeira com um livro de poesias de Fernando Pessoa, chocolate Kopenhagen, meio garrafa do vinho tinto chileno Santa Helena e dois cravos vermelhos (126,40 reais).


Revista Exame PME - Outubro e Novembro de 2009
Título: Torpedos para produzir mais.

Até três anos atrás, os vendedores da floricultura online Giuliana Flores não paravam de receber telefonemas. Mas o fundador Clóvis Souza, de 39 anos, não estava contente. "O call center vivia congestionado e apenas 30% das chamadas se convertiam em vendas", diz ele. "E não era por causa de preços altos ou atendentes ruins." O problema estava no grande número de clientes querendo saber se as pessoas para quem haviam comprado flores já as tinham recebido. Como eles ligavam uma, duas, várias vezes, as linhas viviam ocupadas - e os vendedores passavam boa parte do tempo dando atenção àqueles compradores, em vez de fechar novos negócios. Souza entendia do assunto, pois já estivera do outro lado. Aos 17 anos, quando cursava o colegial, encheu-se de coragem, comprou um buquê de rosas vermelhas na floricultura em que trabalhava e mandou entregar para a namoradinha. As horas seguintes foram de alta ansiedade. "Só melhorei quando o entregador disse que ela tinha recebido." A Giuliana Flores precisava tomar a iniciativa de notificar os clientes. Souza ficou em dúvida sobre qual tecnologia usar. Sistemas de rastreamento sofisticados, como o da Fedex, que informa em tempo real onde está a encomenda, não cabiam no orçamento. Contratar gente só para avisar os clientes por telefone aumentaria os custos e poderia nem acabar com o gargalo. A solução apareceu quando Souza convenceu-se de que era melhor separar venda e pós-venda em diferentes canais. "Escolhi o SMS", diz ele. Ao comprar flores pelo site ou pelo televendas, o consumidor diz se quer receber um torpedo confirmando a entrega. Ao chegar ao destino, o motorista avisa a central da floricultura por rádio - o que não gera custo adicional. Na mesma hora, quem recebe a informação digita o celular do cliente num site, que dispara o torpedo - são cerca de 1.300 mensagens por mês. "Tudo acontece sem passar pelo call center", diz Souza. O congestionamento acabou e os negócios fluíram. Hoje, as estatísticas de telefonemas convertidos em vendas mostram que a produtividade dos vendedores aumentou 133% em relação à do sistema anterior.


Revista Veja - 25 de novembro de 2009
Título: A Amazon que se cuide

(...)A parceria consiste no aluguel de espaço nos grandes sites às empresas menores, que passam a vender ali seus produtos. (...) Lojas pequenas, por sua vez, ganham uma visibilidade que jamais teriam de outra maneira. "Estar hospedado em grandes sites ou portais foi decisivo para o meu faturamento ter crescido 42% neste ano", avalia Clóvis Souza, dono da Giuliana Flores, a atual líder no segmento. Para ele, a internet significou um divisor de águas. Com três floriculturas em São Caetano do Sul, foi só quando decidiu ingressar na rede que seu negócio mudou de patamar. "Deixei de ser o florista do ABC para vender para todo o Brasil", resume. (...) Depois de três floriculturas em São Caetano do Sul, Clóvis Souza decidiu ingressar na internet. Acabou se tornando o maior vendedor de flores da rede. O altíssimo acesso à sua loja se deve, em boa parte, ao fato de ele ter um espaço grande em sites, como Americanas.com. "Foi o melhor investimento que eu fiz".